top of page
Design sem nome (14).png

PELO FIM DO RECONHECIMENTO FACIAL FOTOGRÁFICO

Participe conosco dessa mobilização contra o uso do Reconhecimento Facial Fotográfico, mecanismo que tem colocado na prisão diversos jovens negros inocentes!

Assine essa petição!

Nos últimos anos, temos visto inúmeras notícias de casos de prisões injustas de homens negros inocentes, baseadas unicamente em fotos presentes nos álbuns de suspeitos das delegacias ou provenientes de redes sociais, sem qualquer outro elemento probatório. Esses casos apontam a existência de graves falhas no sistema de justiça brasileiro, ao mesmo tempo em que evidenciam o racismo como um componente estruturante de nossas instituições jurídicas.

  

Dados da Defensoria Pública do Rio de Janeiro apuraram que 80% dos réus absolvidos por erros no uso do reconhecimento fotográfico passaram mais de um ano na prisão, sendo possível traçar um perfil dos acusados: 95,9% homens e 63,74% negros, que tiveram suas vidas e de suas famílias devastadas por um sistema de justiça criminal que historicamente reforça o seu compromisso com o uso do aparelho do Estado para punir jovens negros no Brasil. 

Assista um pouco da participação da Deputada Estadual Dani Balbi na CPI do Reconhecimento Fotográfico

Através de sua participação na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Reconhecimento Fotográfico nas Delegacias, instalada na ALERJ em 2023, Dani Balbi tem expressado especial preocupação com as ilegalidades e arbitrariedades cometidas pelo sistema de justiça no reconhecimento fotográfico, destacando seus efeitos deletérios para os jovens negros e a necessidade urgente de discutir maneiras de aprimorar o sistema de justiça criminal. A maneira com que os álbuns de suspeitos utilizados nas delegacias são construídos é extremamente preocupante e tem provocado muitos erros judiciários, enviando jovens negros para o encarceramento. 

bottom of page